Search

O MCP e a agricultura da vida: os corredores agroecológicos e melhoramento participativo


Nos dias 22 e 23 de março foi realizada uma atividade de campo que compõe a Campanha Sementes da Vida, no estado de Goiás, no município de Catalão.


A atividade, coordenada pelos pesquisadores da Embrapa Altair Toledo e Cynthia Torres, em parceria com o MCP, teve como objetivo visitar os Corredores Agroecológicos. Estes corredores são estratégias para produção de alimentos e sementes focados no manejo da agrobiodiversidade e sustentabilidade de pequenas propriedades familiares.


Além disso, a experiência que vem sendo replicada há mais de uma década demostra as estratégias de manejo e redesenho de agroecossistemas a partir dos corredores agroecológicos.

Durante os dois dias de ações, foi possível demonstrar a estratégia da célula de seleção para o melhoramento participativo de milho. Nessa perspectiva educativa, participaram camponeses e estudantes que puderam aprender a selecionar as melhores espigas, por meio da seleção massal, e com isso se ter uma semente melhor. O resultado dessa seleção na prática da vida camponesa é ir melhorando a variedade e com isso obter objetivos satisfatórios de uma produção pautada nos princípios da agroecologia. Dessa forma, a seleção de sementes é fundamental para que os camponeses e camponesas reservem uma parte para armazenamento, de modo a não perder a genética e a outra parte é para o plantio.

A Campanha Permanente Sementes da Vida tem o intuito de proporcionar vivências e estudos que visem a melhoria da vida campesina, apresentando como principal pauta a proteção do direito dos camponeses e da preservação e produção de sementes crioulas. Nestas ações alertamos que é preciso, mais do que nunca, potencializar as iniciativas em defesa dos camponeses e das sementes crioulas, protegendo o conhecimento e a prática das comunidades tradicionais. Conjuntamente, esta campanha busca promover ações de diferentes naturezas que visem denunciar, identificar e monitorar as contaminações das sementes, além de promover e defender territórios livres de transgênicos.


Camponesas e Camponeses em luta por soberania alimentar e poder popular!